Resenha: Burguesia (Cazuza)


E ai exagerados, tudo bem com vocês? Hoje na nossa análise, vamos ver ele, o "Burguesia". 4° álbum solo do cantor e compositor brasileiro Agenor de Miranda Araújo Neto, ou simplesmente, Cazuza.

Cara, pessoalmente, eu acho esse álbum o melhor dele. A sonoridade e profundidade de algumas letras são de emocionar qualquer um. Ele foi gravado quando o estado de saúde de Cazuza já estava bem zoado, tendo que em algumas músicas, gravar deitado devido a fraqueza que sentia por causa da AIDS. Inclusive esse álbum foi o que ele utilizou mais backing vocals, devido a voz já zuada e tals.

O álbum abre com a maravilhosa "Burguesia" que lança críticas a elite brasileira e o abandono da mesma para com a população. A batida dessa música é sensacional e cativante. Com trechos memoráveis como "As pessoas vão ver que estão sendo roubadas/Vai haver uma revolução/Ao contrário da de 64/Vamos pegar o dinheiro roubado da burguesia/Vamos pra rua!" ou até "Enquanto houver burguesia/não vai haver poesia". Enfim, hino de qualquer "anti-burguês".

O álbum segue com "Nabucodonosor" que é bastante intrigante e meio "sem sentido" para alguns. Mas, ao meu ver, ela tem total sentido. Nessa canção Cazuza tenta expressar seu "contentamento" com a doença. Dado versos como "Agora eu acredito/em reincarnação/e também que a morte/não é assim tão ruim não.". Ah, sem falar no maravilhoso solo no final.

Depois vem "Tudo é Amor" que.. que.. ah, o nome já diz tudo. Tudo é amor!. Seguindo vem uma das minhas favoritas, "A Garota de Bauru", que fala de uma garota que mora em Bauru (ah vá) que o Cazuza comeu conheceu. Bem agradável de se ouvir e com versos legais e pegajosos. Adoro ela.

A 5° música, "Eu Agradeço", é bem legal. É outra que entra para o clube das profundas apesar de ter uma batida agitada. Ao meu ver, ela fala da falta de fé de Cazuza em sua recuperação e já esperando a morte. Seguindo vem "Eu quero Alguém", mostrando que mesmo no leito de morte, Cazuza, transão como era, queria alguém pra comer ficar.

"Baby Lonest", "Como já dizia Djavan" e "Perto do Fogo" talvez sejam as que eu menos simpatizo. Mas elas não são ruins, questão de gosto mesmo. Talvez porque as melhores estejam por vir. Pois a sequencia de músicas com letras profundas e tocantes começa com "Cobaias de Deus". Puta que pariu, o que falar dessa canção? Simplesmente perfeita. Faz chorar escutar essa música. Trechos como "Se você quer saber como eu me sinto/ vá a um laboratórios com labirintos" e "Meu pai e minha mãe/ estou com medo/eles vão deixar/ a sorte me levar" me faz pensar como foi difícil para ele, ali, deitado na cama de hospital esperando a morte, sem poder fazer nada. Pensar em como foi angustiante.. E o pior é que depois dela vem "Mulher Sem Razão", "Por Quase um Segundo", "Filho Ùnico", "Preconceito", "Esse Cara", "Azul e Amarelo", "Cartão Postal", "Manhatã", "Bruma" e "Quando Eu Estiver Cantando" e cara, falar delas é algo impossível. O sentimento que elas passam não pode ser descrito. Só ouvindo, e é esse o dever de casa de vocês! Vou deixar o link para download do álbum, o resto é com vocês! Abraços e até a próxima, vida longa ao rock n roll!

Faixas:

1. Burguesia
2. Nabucodonosor
3. Tudo É Amor
4. Garota de Bauru
5. Eu Agradeço
6. Eu Quero Alguém
7. Baby Lonest
8. Como Já Dizia Djavan
9. Perto do Fogo
10. Cobaias de Deus
11. Mulher Sem Razão
12. Quase Um Segundo
13. Filho Único
14. Preconceito
15. Esse Cara
16. Azul e Amarelo
17. Cartão Postal
18. Manhatã
19. Bruma
20. Quando Eu Estiver Cantando

Link para download


1 comentários:

Marcelo Alves Da Costa Says:
11/27/2016 5:01 PM

Analise perfeita cara o som desse album pra min tbm e dos melhores as letras a voz do Cazuza mesmo fraca mas berrando como na musica Eu Quero Alguem, no final os solos de guitarra dessa cancao,o blues regravado Cartao Postal musica da Rita Lee parceria com Paulo Coelho e a musica de despedia dele sem palavras...Parabens

Postar um comentário